Windows Live Messenger

quarta-feira, 3 de abril de 2013



A questão da flexibilidade da nova lei das domésticas
Enviado por luisnassif, qua, 03/04/2013 - 14:46
Por Carlos Alberto Amaral

Muito justo equivalencia de direitos entre as várias profissões.

Mas o populismo e a mentalidade paternalista das esquerdas está criando mais um monstro.

Não vi um jornalista sequer falando sobre a inflexibilidade da nova Lei e o respeito à relação livre entre as partes.

Abaixo comentário meu que estou divulgando a amigos, parentes, políticos e principalmente jornalistas:

Em Países como por exemplo a Inglaterra o banco de horas dos empregados ( em geral inclusive domésticas ) é contado em conjuntos de 17 semanas ou seja 4 meses. E se pode trabalhar até 48 horas por semana multiplicado pelas 17 semanas, desde que se respeite o descanso semanal de 24 horas por semana ou de 48 horas ao fim de duas semanas.
Ou seja a nossa legislação está mais realista do que o de nações muitíssimo mais ricas em termos de PNB/capita.

Alem disto para os trabalhadores maiores de 18 anos existe um contrato de opt-out em que o trabalhador pactua querer trabalhar mais de 48 horas por semana.

Mas o Governo brasileiro é paternalista no pior sentido!

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário