Windows Live Messenger

quarta-feira, 3 de abril de 2013



Vice de Feliciano ameaça renunciar, mas recua
Enviado por luisnassif, qua, 03/04/2013 - 09:30
Por Diego Duarte

Do Valor

Deputada da sigla de Feliciano desiste de renúncia da Comissão de DH

BRASÍLIA - Após ameaçar renunciar à vice-presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, a deputada Antônia Lúcia (PSC-AC) recuou e deve permanecer no posto.

A informação foi dada pelo líder do PSC na Câmara, André Moura (SE), nesta terça-feira. "A deputada Antônia Lúcia teve uma conversa conosco hoje pela manhã e ela permanece na primeira-vice-presidência da comissão", disse Moura.

A deputada anunciou a decisão na segunda-feira como reação às declarações do presidente da comissão, pastor Marco Feliciano (PSC-SP). Em um culto na sexta-feira, ele disse que a comissão era dominada por "satanás" antes de sua eleição para a direção do órgão.

André Moura declarou que Feliciano deve desculpas por essas declarações. "O pastor Marco Feliciano confirma as declarações. Eu entendo que são declarações infelizes da parte dele. Disse isso ao deputado. Acho que agora cabe a ele um pedido de desculpas oficial e, logicamente, que a Mesa Diretora da Casa fará uma análise das consequências da declaração mesmo porque, apesar de ser num culto evangélico [local onde fez a declaração], ele também fez referência a parlamentares que faziam parte da comissão no ano passado e alguns que continuam fazendo parte da comissão neste ano."

Segundo Moura, o partido está incomodado com a situação. "A bancada de deputados do PSC desde a semana passada que ele deveria rever essa posição. Agora cabe uma discussão com o próprio pastor, já que a renúncia é um ato que só cabe a ele. E é uma decisão da Executiva do partido, já que a decisão de manter o deputado foi também da Executiva."

Na próxima semana, Feliciano deve se reunir com os líderes e o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), para debater sua situação. Feliciano vem sendo alvo de protestos seguidos no interior da Câmara dos Deputados e fora dela por presidir um comissão que defende os direitos humanos ao mesmo tempo em que é acusado de posições racistas e homofóbicas.

(Caio Junqueira | Valor)

------------------

Do Sul 21

Após declarações de Feliciano, vice-presidente da CDHM anuncia que vai renunciar

Da Redação

A deputada Antônia Lúcia (PSC-AC), vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias na Câmara, anunciou nesta segunda-feira (01) que vai renunciar ao cargo devido às afirmações feitas pelo colega de partido Marco Feliciano (SP), atual presidente do colegiado. Nesta sexta-feira (29), durante um culto evangélico em Passos, Minas Gerais, o pastor afirmou que o espaço que ele ocupa na comissão era “dominado por Satanás” antes da sua entrada.

Em um vídeo publicado no Youtube no sábado, Feliciano aparece falando sobre a comissão. Durante o culto, cerca de 50 pessoas protestaram contra o parlamentar em frente ao ginásio onde o evento estava acontecendo. “Eu queria só explicar o porquê de toda essa manifestação. Essa manifestação toda se dá porque, pela primeira vez na história deste Brasil, um pastor cheio de Espírito Santo ocupa um espaço que até ontem era dominado por Satanás”, declarou o pastor.

Antônia Lúcia, que está na comissão há três anos, disse que se sentiu ofendida pelas declarações do colega, que classificou como “desacato”. “Em respeito à minha própria pessoa, ao meu trabalho como parlamentar, eu não aceito uma declaração dessas. Eu acho que nós temos que separar igreja de Parlamento”. Ela afirmou que, assim que comprovar a autenticidade do vídeo, irá deixar o cargo de vice.



“Quero deixar registrado, especialmente ao deputado Domingos Dutra, que não tínhamos nenhuma representação satânica no colegiado”.| Foto: Câmara dos Deputados

A deputada também pediu desculpas em nome do partido aos antigos membros da comissão, em especial ao ex-presidente Domingos Dutra (PT-MA). “Não existe isso que ele [Feliciano] falou. Peço desculpas aos ex-colegas e aos atuais membros da comissão. Quero deixar registrado, especialmente ao deputado Domingos Dutra, que não tínhamos nenhuma representação satânica no colegiado. Refuto essa declaração, até porque eu mesma fazia parte dessa comissão”, disse.

Ela ainda criticou o fato de Feliciano ter comentado sobre assuntos do Legislativo durante um culto religioso. “Pastor é na igreja. Assuntos do parlamento têm de ser tratados no parlamento”, observou a deputada do PSC.

Antônia Lúcia, que também é evangélica, chegou a ser cotada para substituir Feliciano caso fosse decidido que ele deveria deixar o cargo ou ele renunciasse. A liderança do PSC, porém, decidiu bancar a indicação de Feliciano. A deputada ressaltou que pretende conversar com o deputado André Moura (SE), líder do PSC na Câmara, para que ele tome providências sobre o episódio.

A assessoria de Feliciano afirmou que ele se manifestou como pastor, e não como deputado. As declarações feitas por ele seriam uma “opinião religiosa que reflete sua visão espiritual”.

A reunião de líderes partidários que aconteceria nesta terça-feira para rediscutir a permanência de Feliciano como presidente da Comissão foi adiada em razão da ausência do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, que está de licença médica durante toda a semana.

Com informações do site da Câmara e do G1

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário