Windows Live Messenger

quinta-feira, 18 de outubro de 2012


A falta de visão de longo prazo nos partidos
Enviado por luisnassif, qui, 18/10/2012 - 13:50
Por Antônio CDS
Comentário ao post "O diagnóstico de Singer e o projeto do PT"

Também concordo, o PSB é tão partido ônibus quanto o PSD. Eduardo Campos tem visão estratégica tão longa quanto a do Kassab. A vantagem do primeiro é que, se aproveitando da senilidadde do Jarbas Vasconcelos, subiu na boleia do PT enquanto tentava dar uma arrumada no seu buzinho usado. O outro, entrou no ônibus errado e foi parar em Marrakesh.

Acreditar que haja nestes partidos uma visão de país de longo prazo é ser ingênuo (ou extremamente estúpido) igual ao Fernando Pimentel.

O PT e o PSDB são os únicos dois partidos strictu senso do país. O segundo está caindo de podre, sustentado moralmente apenas por poucos fundadores vivos, mas mantidos nas masmorras da serrolândia.

O PT mudou? Se adequou, graças a Deus! Imagine o que seria o país hoje se tivesse continuado a ser o PSOL (este aliás, a exemplo do PV, acabou de comprar uma kombizinha 74 a prestações, e não foi nem vermelha, então já já teremos um novo Roberto Freixo, ops, Freire, por aí)? O partido hoje possui 30% do eleitorado e provavelmente em breve será o único organicamente capaz de pensar o Brasil além da fronteira de cada um dos 22 estados e das classes A, B e média massa de manobra. A tentativa de Belo Horizonte deixou isto claro.

Quanto à fadiga de material, discordo. Lula já percebeu esta possibilidade desde sua primeira eleição. Primeiro exporgou os malas sem alça da década de 70. Durante o mandato, e após, arriscou seu capital político para renovar o partido escolhendo "postes" (na provável nova definição do Aurélio, políticos competentes e arejados que são detratados como limítrofes simplesmente por que foram bancados pelo Lula e por isto devem receber o mesmo tratamento dispensado a ele).



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário