Windows Live Messenger

quinta-feira, 18 de outubro de 2012







































.




Polícia Civil não encontra indícios de abuso em ação da Rota
Enviado por luisnassif, qui, 18/10/2012 - 08:18



Por EDSON MEDEIROS

Do G1

Gaeco não encontra indícios de abusos em ação em Várzea Paulista

Reconstituição da operação da Rota foi realizada nesta quarta-feira (17). Investigação não está concluída e faltam ainda alguns laudos da perícia.

A polícia fez nesta quarta-feira (17) a reconstituição da operação da Rota - grupo de elite da Polícia Militar do estado de São Paulo – em uma chácara emVárzea Paulista (SP). Durante a ação, realizada em 11 de setembro, nove pessoas morreram.

Os 40 homens que participaram da operação retornaram ao local. A reconstituição, que foi pedida pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí, durou três horas. O promotor do Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado) e responsável pela acusação formal também acompanhou o trabalho.

Em nota, a assessoria de impresa do Ministério Público informou que, segundo o GAECO - Núcleo Campinas, pelas provas colhidas até o momento não há indícios de abuso ou excesso praticado pelos PMs da Rota na operação em Várzea Paulista.

A reprodução dos fatos foi feita em todos os pontos onde houve confronto entre os PMs e os criminosos. Tudo de acordo com a versão dos policiais e de testemunhas. Os homens presos na ação não participaram da reconstituição. Na delegacia, eles permaneceram em silêncio durante o depoimento.

No dia da ação, a Rota descobriu que na chácara um suposto estuprador seria julgado por criminosos, em uma espécie de 'Tribunal do Crime'. A menina de 12 anos, que seria a vítima, a mãe dela e o irmão teriam acompanhado o julgamento. Quando os policiais chegaram, os homens tentaram fugir e houve tiroteio.

Na operação foram apreendidos vários carros, uma metralhadora, duas carabinas calibre doze, pistolas, revólveres, 20 kg de maconha, granada e dinamite


Nenhum comentário:

Postar um comentário